Cientistas implantaram no cérebro dele dois microeletrodos menores que meio grão de feijão. Computador manda estímulos para os membros.

Pela primeira vez um homem, que perdeu os movimentos dos braços e das pernas, conseguiu movimentar o braço e a mão com a força do pensamento. Depois de nove anos paralisado, Bill levou um copo à boca e bebeu. Ele perdeu todos os movimentos, do ombro para baixo, depois de um acidente de bicicleta. Bill contou que estava chovendo muito e que pedalava a mais de 200km quando bateu na traseira de um caminhão dos correios que parou para fazer uma entrega.

Para tentar ser mais independente, Bill se voluntariou para fazer parte da pesquisa. Os cientistas implantaram no cérebro de Bill dois microeletrodos menores que meio grão de feijão em uma área chamada de córtex motor primário. Eles gravam a atividade cerebral em alta resolução e depois mandam as informações para um computador.

A máquina interpreta que tipo de onda cerebral corresponde a cada parte do corpo dele e qual movimento ele quer fazer e aí manda os estímulos para o braço e para mão, porque dentro dos músculos também foram implantados eletrodos.

Fonte: G1